30 julho 2010

Faltava só cutucar! Foi só dizer que a pedrinha tinha dado uma folga que o inferno voltou.
Resultado: Dias de crises! BAD TRIP!
Maaas, hoje (enfim) fiz uma papilotomia endoscópica e aparentemente tá tudo bem. Espero que permaneça assim! *-*

24 julho 2010

a saga da pedra abandonada.

Estava tudo correndo bem, eu estava flutuando e já tinha me adaptado às refeições de remédios. Acontece que aquelas dores não paravam e eu não aguentava mais tentar adivinhar o que era. Resultado: internação (de novo).

Após 56765157257167175 exames tivemos a notícia que uma pedrinha havia sido esquecida durante a cirurgia.

Isso é um absurdo, sério. Eu tô bem, no máximo vou precisar de uma endoscopia suuuuper agradável pra romper o canal e dar passagem pra protagonista, A PEDRA. Eu, como uma reles figurante, não me importo em ser útil a ela.

Voltando ao absurdo: imaginem os sentimentos daquela pedra, perdida pelo canal colédoco, sozinha, autistando e dilatando a via biliar. É obvio que ela está deprimida, sentindo a dor da solidão. É óbvio que ela queria que alguém compartilhasse dessa dor com ela, como um desabafo. É óbvio que a melhor pessoa pra essa função sou eu, aliás, sou muito boa em sentir dor... deviam contratar-me para protagonizar.


Enfim, o médico achou que a pedra estaria magoada e queria
passar antidepressivo para ela, através de mim... veja que pessoa de grande coração. Mas eu achei melhor não dopar a pedrinha, e aqui estou eu, todos os dias tentando acalmá-la.

Acho que ela está melhor, talvez tenha feito amizade com meu intestino. O fato é que ela me abandonou, a dor é amena e, pra dizer a verdade, não sinto falta da pedra. Nem era minha amiga, nosso contato era apenas profissional.

Como uma boa profissional, desejo a ela um grande futuro intestino abaixo... e que ela não precise mais de mim.


PS.: Acho que essa cirurgia complicada, cheia de consequências foi uma conspiração contra a minha pessoa a fim de me fazer desistir. Maaas, já positiva e operante, como um velho vaso ruim, não me acovardei e ainda não desisti de cortar o nariz e comprar seios novos.




19 julho 2010

auxílio amiga para crises de hipo-estima.

*~ isaaaa diz:
*vc eh linda, rosa e purpurinada

*kkkkkkkkkk
Momô. diz:

*faltou o perfeita, com strass e bordinha dourada. *-*
*heuehueheuheuhe!
*~ isaaaa diz:
*isso amigaa
*vc eh td issoo!
Momô. diz:

* s2
*brigaaada, amiga!

And I wonder if I ever cross your mind
For me it happens all the time

O Trauma Pós-cirúrgico.


Acho que hoje foi psicologicamente o dia pós-cirúrgico mais tenso! Estou me sentindo uma estranha.

Uma bolinha de gude num pote de chocolate, ou melhor ainda: um pedaço de couve-flor no meio do milk-shake de ovomaltine do bob's . (Tá, esquece isso.)
Não posso ficar muito deitada, nem muito sentada, e muito menos ficar andando.

Solução: FLUTUAR!

Pense no lado bom, se você for gordinha(o) como eu, podem te confundir com uma bolha. Crianças ADORAM bolhas:

(hahaha!)

Pois é, parece uma idéia imbecil, mas não vejo outra opção. Atividades: não pode. Inércia: não pode. O que sobra é sair flutuando (e não estou falando de voar, não me entenda mal, sei que não se pode forçar tanto o organismo... tô falando de "boiar no ar" - não nadar! sei que não se pode nadar também.)
Isso mesmo, amigos. Descobri a solução para todos os recém operados revoltados com as inúmeras recomendações dos nossos queridos amigos médicos. =D <- sorriso irônico.

Outra coisa importante: Pode-se consumir tudo (em pequenas quantidades), com algumas exceções que são: comidas, bebidas e doces em geral.


Solução: Almoce e jante remédios.

Sim, se você nunca percebeu a mensagem nas entrelinhas, você é um imbecil. Óbvio que você deve substituir as refeições por remédios, a não ser que você tenha anemia... dizem que tijolo faz bem pra anemia e eles não são proibidos! COMA TIJOLOS!

O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE: Seja uma pessoa melhor, saia flutuando e comendo tijolos. (Y)

18 julho 2010

a saga dos curativos.


Troquei os curativos sozinha! *-*
(ehueheuheuheuheuhe!)
Foi mais fácil do que eu imaginava, mas não está nada bonito.
E enquanto eu estava sendo fatiada e remendada os lesadinhos curtiam o UÊ 4.
E claro, eu estive presente:


EU TÔ FALANDO É DE AMIZADE!

17 julho 2010

Ex-vesícula.

Só vejo remédios. São muitos e muitos remédios rindo pra mim (ou de mim, sei lá).
A previsão era que a cirurgia durasse até uma hora. Como sempre eu dei um trabalhinho a mais pro doutor... foram duas horas de inconsciência, duas horas de cirurgia, sabe-se lá quantos cirurgiões e enfermeiros, quatro cicatrizes e uma vesícula a menos. Como presente eu estou andando pior do que uma senhora de 90 anos, ganhei uma dieta de souvenir onde so vou poder comer coisas que eu não gosto e ainda por cima, levantar da cama sozinha tornou-se um sofrimento.
Poréééém, eu estou viva, forte e (não) pronta pra outra. Graças a Deus deu tudo certo e eu vou superar mais essa!
As cicatrizes não são enormes, mas me incomodam! Se não me engano foi no filme "Ligados pelo Crime" que disseram que as cicatrizes são o mapa da alma. É uma definição muito bonita e um tanto atenuante... mas ainda mitigando a definição, as cicatrizes estão aqui visíveis e isso não me deixa muito feliz.
São 7 dias de milhões de remédios e depois desse prazo a quantidade cai para milhares. Das 6 da manhã às 24hs. Dormir que é bom nada!
Semana que vem tem aniversário da Tati, nascimento da Lavínia, Jimi (campeonato) e Exposição. Além disso ainda tenho que achar uma república pra Luaninha e eu dividirmos! Ou seja, preciiiso estar boa.
Depois o médico vai tirar os pontos (espero veemente que eles durem até lá) e eu espero MUITÍSSIMO que ele me autorize a voltar a usar salto. Não sei o que será da minha vida sem eles... tem a academia, o estágio, os documentos da OAB e as demais atividades (hehe).
Operar é um saco! Gastar o dinheiro que eu poderia ter gasto com minha plástica no nariz é ainda pior! hahaha.
Enfim, tô passando uma raivinha por causa desta cirurgia, mas tô treinando pras próximas (que de preferência serão opcionais).
:)

14 julho 2010

com o tempo, você vai percebendo que,
para ser feliz com uma outra pessoa você precisa,
em primeiro lugar,
não precisar dela...
você aprende a gostar de você,
a cuidar de você, principalmente,
a gostar de quem também gosta de você.
o segredo é não correr atrás das borboletas...
é cuidar do jardim
para que elas venham até você.
no final das contas, você vai achar
não quem você estava procurando...
mas quem estava procurando por você!

(mário quintana)

Mas que belo estranho dia...


...pra se ter alegria!

então me diz!
nada é tão triste assim
a vida é boa pra mim
mais que o normal...

então me diz!
qualquer história
de amor e glória
eu sei!
não dá mais prá voar...

não sei olhar sem você
eu só tenho olhar pra você
eu só sei olhar pra você
eu só sei olhar pra você
só sei olhar pra você
eu não sei olhar...

Então me diz!
Frases feitas comuns
Já sei, ficamos no ar
Mais que o normal...

Então me diz!
Faz frio agora
A musa inglória partiu
Negando o seu papel...

e eu nem sei olhar sem você
eu não sei olhar sem você
eu não sei olhar sem você
eu só sei olhar pra você
só sei olhar prá você
eu só sei olhar...

uuuuuh!
nunca disse: te amo!
nunca disse: te estranho!
nem importa mais...

e eu só sei pensar em você
eu só sei pensar em você
eu só sei pensar com você
eu só sei pensar com você
só sei pensar em você
só sei pensar
pensar! pensar! pensar!
pensar! pensar! pensar!
até chegar alguém!...


eu quero a sorte de um amor tranquilo,
com sabor de fruta mordidaaa!

~


Help, I need somebody
Help, not just anybody
Help, you know I need someone, help!
When I was younger, so much younger than today
I never needed anybody's help in any way
But now these days are gone, I'm not so self assured
Now I find I've changed my mind and opened up the doors
Help me if you can, I'm feeling down
And I do appreciate you being round
Help me, get my feet back on the ground
Won't you please, please, help me
And now my life has changed in oh so many ways
My independence seems to vanish in the haze
But every now and then I feel so insecure
I know that I just need you like I've never done before
Help me if you can, I'm feeling down
And I do appreciate you being round
Help me, get my feet back on the ground
Won't you please, please, help me
When I was younger, so much younger than today
I never needed anybody's help in any way
But now these days are gone, I'm not so self assured
Now I find I've changed my mind and opened up the doors
Help me if you can, I'm feeling down
And I do appreciate you being round
Help me, get my feet back on the ground
Won't you please, please, help me, help me, help me, oh

numa moldura clara e simples sou aquilo que se vê.

13 julho 2010


We are the champions, my friends
And we'll keep on fighting
'Till the end
We are the champions
We are the champions
No time for losers
'Cause we are the champions of the world

canta para mim
qualquer coisa, assim, sobre você
que explique a minha paz

tristeza nunca mais!

(())


borboleta parece flor
que o vento tirou pra dançar
sonho parece verdade
quando a gente esquece de acordar
descobrir o verdadeiro sentido das coisas
é querer saber demais
querer saber demais

~
viva à tua maneira
não perca a estribeira
saiba do teu valor!

O vencedor, LH.


olha lá, quem vem do lado oposto vem sem gosto de viver

olha lá, que os bravos são escravos são os sábios de sofrer




olha lá, quem acha que perder é ser menor na vida

olha lá, quem sempre quer vitória
e perde a glória de chorar



eu que já não quero mais ser um vencedor

levo a vida devagar pra não faltar amor!



nostalgia colorida! *-*

é você...
meu desejo mais gostoso de viver

você é o meu segredo, meu prazer
a maior felicidade que encontrei
um amor que na verdade acreditei
é quem faz bater feliz meu coração
pra você eu entrego minha vida,
em suas mãos
faz de mim um prisioneiro da paixão
só eu sei como eu preciso de você
eu não posso nem pensar em te perder
eu confesso que te amo, meu amor!
olha nos meus olhos,
sem você não sei viver

jamais pensei amar assim
não tenho mais palavras pra dizer
meu, bem você nasceu pra mim!

olha pra mim, pode enxergar...


...todo amor do mundo eu vou te dar!

eu sinto que sei que sou um tanto bem maior.


Pra falar verdade, às vezes minto

Tentando ser metade do inteiro que eu sinto
Pra dizer as vezes que às vezes não digo
Sou capaz de fazer da minha briga meu abrigo
Tanto faz não satisfaz o que preciso
Além do mais, quem busca nunca é indeciso
Eu busquei quem sou;
Você, pra mim, mostrou
Que eu não sou sozinho nesse mundo.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser.



CUIDA DE MIM, O Teatro Mágico.

(sina nossa, o teatro mágico.)

Mia senhora, és de lua e beleza
És um pranto do avesso... És um anjo in verso
Em presença e peso
Atrevo-me atravesso, pra perto do peito teu.
Teu sagrado e tua besteira, teu cuidado e tua maneira
De descordar da dor, de descobrir abrigo
Entre tanto amor
Entretanto a dúvida
A música que casou
Um certo surto que não veio
Há uma alma em mim,
Há uma calma que não condiz...
Com a nossa pressa!
Com resto que nos resta
Lamentavelmente eu sou assim...
Um tanto disperso
Às vezes desapareço
Pois depois recomeço
Mas antes me esqueço
Nossa sina é se ensinar...
A sina nossa é...
Nossa sina é se ensinar...
A sina nossa...
Minha senhora diz:
Bons ventos para nós
Para assim sempre
Soprar sobre nós...

um pouco de desprezo economiza bastante ódio.



11 julho 2010

nota mental: sorrir.

~♫

e até quem me vê lendo jornal, na fila do pão,
sabe que eu te encontrei!
e ninguém dirá que é tarde demais,
que é tão diferente assim...
do nosso amor a gente é que sabe.


(último romance, los hemanos.)

A LENDA DO BANHEIRO FEMININO.

O grande segredo de todas as mulheres com relação aos banheiros é que quando pequenas, quem as levava ao banheiro era sua mãe.
Ela ensinava a limpar o assento com papel higiênico e cuidadosamente colocava tiras de papel no perímetro do vaso e instruía:
“Nunca, nunca sente em um banheiro público” E, em seguida, mostrava “a posição”, que consiste em se equilibrar sobre o vaso numa posição de sentar sem que, no entanto, o corpo não entre em contrato com o vaso.

“A Posição” é uma das primeiras lições de vida de uma menina, super importante e necessária, e irá nos acompanhar por toda a vida. No entanto, ainda hoje, em nossa vida adulta, “a posição” é dolorosamente difícil de manter quando a bexiga está estourando. Quando você TEM que ir ao banheiro público, você encontra uma fila de mulheres, que faz você pensar que o Brad Pitt deve estar lá dentro.

Você se resigna e espera, sorrindo para as outras mulheres que também estão com braços e pernas cruzados na posição oficial de “estou me mijando”.
Finalmente chega a sua vez, isso, se não entrar a típica mamãe com a menina que não pode mais se segurar. Você, então verifica cada cubículo por baixo da porta para ver se há pernas.

Todos estão ocupados.

Finalmente um se abre e você se lança em sua direção quase puxando a pessoa que está saindo. Você entra e percebe que o trinco não funciona (nunca funciona); não importa… você pendura a bolsa no gancho que há na porta e se não há gancho (quase nunca há gancho), você inspeciona a área.. o chão está cheio de líquidos não identificados e você não se atreve a deixar a bolsa ali, então você a pendura no pescoço enquanto observa como ela balança sob o teu corpo, sem contar que você é quase decapitada pela alça porque a bolsa está cheia de bugigangas que você foi enfiando lá dentro, a maioria das quais você não usa, mas que você guarda porque nunca se sabe…
Mas, voltando à porta… Como não tinha trinco, a única opção é segurá-la com uma mão, enquanto, com a outra, abaixa a calcinha com um puxão e se coloca “na posição”.

Alívio…… AAhhhhhh…..Finalmente! Aí é quando os teus músculos começam a tremer… Porque você está suspensa no ar, com as pernas flexionadas e a calcinha cortando a circulação das pernas, o braço fazendo força contra a porta e uma bolsa de 5 kg pendurada no pescoço. Você adoraria sentar, mas não teve tempo de limpar o assento nem de cobrir o vaso com papel higiênico. No fundo, você acredita que nada vai acontecer, mas a voz de tua mãe ecoa na tua cabeça “jamais sente em um banheiro público!!!” e, assim, você mantém “a posição” com o tremor nas pernas…
E, por um erro de cálculo na distância, um jato finíssimo salpica na tua própria bunda e molha até tuas meias! Por sorte, não molha os sapatos.

Adotar “a posição” requer grande concentração. Para tirar essa desgraça da cabeça, você procura o rolo de papel higiênico, maaassss, puuuuta que o pariuuuu…! O rolo está vazio…! (sempre)
Então você pede aos céus para que, nos 5kg de bugigangas que você carrega na bolsa, haja pelo menos um miserável lenço de papel. Mas, para procurar na bolsa, você tem que soltar a porta. Você pensa por um momento, mas não há opção… E, assim que você solta a porta, alguém a empurra e você tem que freiá-la com um movimento rápido e brusco enquanto grita OCUPAAADOOOO!!! Aí, você considera que todas as mulheres esperando lá fora ouviram o recado e você pode soltar a porta sem medo, pois ninguém tentará abrí-la novamente (nisso, as mulheres nos respeitamos muito) e você pode procurar teu lenço sem angústia. Você gostaria de usar todos, mas quão valiosos são em casos similares e você guarda um, por via das dúvidas. Você então começa a contar os segundos que faltam para você sair dali, suando porque você está vestindo o casaco já que não há gancho na porta ou cabide para pendurá-lo. É incrível o calor que faz nestes lugares tão pequenos e nessa posição de força que parece que as coxas e panturrilhas vão explodir. Sem falar da porrada que você levou da porta, a dor na nuca pela alça da bolsa, o suor que corre da testa, as pernas salpicadas…

A lembrança de tua mãe, que estaria morrendo de vergonha se te visse assim, porque sua bunda nunca tocou o vaso de um banheiro público, porque, francamente, “você não sabe que doenças você pode pegar ali” … você está exausta. Ao ficar de pé você não sente mais as pernas. Você acomoda a roupa rapidíssimo e tira a alça da bolsa por cima da cabeça!


Você, então, vai à pia lavar as mãos. Está tudo cheio de água, então você não pode soltar a bolsa nem por um segundo. Você a pendura em um ombro, e não sabendo como funciona a torneira automática, você a toca até que consegue fazer sair um filete de água fresca e estende a mão em busca de sabão. Você se lava na posição de corcunda de notre dame para não deixar a bolsa escorregar para baixo do filete de água… O secador, você nem usa. É um traste inútil, então você seca as mãos na roupa porque nem pensar usar o último lenço de papel que sobrou na bolsa para isso. Você então sai. Sorte se um pedaço de papel higiênico não tiver grudado no sapato e você sair arrastando-o, ou pior, a saia levantada, presa na meia-calça, que você teve que levantar à velocidade da luz e te deixou com a bunda à mostra! Nesse momento, você vê o teu carinha que entrou e saiu do banheiro masculino e ainda teve tempo de sobra para ler um livro enquanto esperava por você.

“Por que você demorou tanto?” pergunta o idiota. Você se limita a responder: “A fila estava enorme”.

E esta é a razão pela qual as mulheres vão ao banheiro em grupo: Por solidariedade, já que uma segura a tua bolsa e o casaco, a outra segura a porta e assim fica muito mais simples e rápido já que você só tem que se concentrar em manter “a posição” e a dignidade.
enquanto pessoas perguntam por que,
outras pessoas perguntam por que não?

até porque não acredito no que é dito, no que é visto.
acesso é poder e o poder é a informação.
qualquer palavra satisfaz... a garota, o rapaz
e a paz quem traz, tanto faz.
o valor é temporário, o amor é imaginário e a festa é um perjúrio.
um minuto de silêncio é um minuto reservado de murmúrio, de anestesia.
o sistema é nervoso e te acalma com a programação do dia, com a narrativa.
a vida ingrata de quem acha que é notícia,
de quem acha que é momento,
na tua tela querem ensinar a fazer comida uma nação que não tem ovo na panela, que não tem gesto...
quem tem medo assimila toda forma de expressão como protesto.

TM, Xaneu n°5.
:o)

Ser essência, muito mais... Ser essência muito mais.

Quanta mudança alcança o nosso ser.
Posso ser assim, daqui a pouco não.

Posso ser assim daqui a pouco?

Reciclar a palavra, o telhado e o porão.
Reinventar tantas outras notas musicais.

Escrever um pretexto, um prefácio, um refrão.

Ser essência, muito mais... Ser essência muito mais.

A porta aberta, o porto, a casa, o caos, o cais.
Se lembrar de celebrar muito mais.
A poesia prevalece, a essência, a paz, a ciência.

Não acomodar com o que incomoda.

Vou, vou engarrafar essa dor, vou engarrafar a saudade, vou me embriagar de tristeza.

Bendizendo ela vira beleza. Gentileza gera gentileza.

Cantos e encantos e momentos tantos.
Vamos camarada,
vamos p
ra luta.

Mas não a luta armada e sim a luta amada.
A luta daqueles que têm no coração o poder da criação,

A força da imaginação.

Vem, vem que eu seguro a tua mão
.


~ O Teatro Mágico. :o)