10 dezembro 2011

Namore um cara que lê...

baseado no "Namore uma garota que lê",
texto escrito pela Rosemary Urquico e
traduzido e adaptado para o português
pela Gabriela Ventura
Namore um cara que se orgulha da biblioteca que tem, ao invés do carro, das roupas ou do penteado. Ele também tem essas coisas, mas sabe que não é isso que vai torná-lo interessante aos seus olhos. Namore um cara que tenha uma pilha de três ou quatro livros na cabeceira e que lembre do nome da professora que o ensinou as primeiras letras.
Encontre um cara que lê. Não é difícil descobrir: ele é aquele que tem a fala mansa e os olhos inquietos. Ele é aquele que pede, toda vez que vocês saem para passear, para entrar rapidinho na livraria, só para olhar um pouco. Sabe aquele que às vezes fica calado porque sabe que as palavras são importantes demais para serem desperdiçadas? Esse é o que lê.
Ele é o cara que não tem medo de se sentar sozinho num café, num bar, num restaurante. Mas, se você olhar bem, ele não está sozinho: tem sempre um livro por perto, nem que seja só no pensamento. O rosto pode ser sério, mas ele não morde, não. Sente-se na mesa ao lado, estique o olho para enxergar a capa, sorria de leve. É bem fácil saber sobre o quê conversar.
Diga algo sobre o Nobel do Vargas Llosa. Fale sobre sobre as novas traduções que andam saindo por aí. Cuidado: certos best-sellers são assunto proibido. Peça uma dica. Pergunte o que ele está lendo –e tenha paciência para escutar, a resposta nunca é assim tão fácil.
Namore um cara que lê, ele vai entender um pouco melhor seu universo, porque já leu Simone, Clarice e –talvez não admita– sabe de memória uns trechos de Jane Austen. Seja você mesma, você mesmíssima, porque ele sabe que são as complicações, os poréns que fazem uma grande heroína. Um cara que lê enxerga em você todas as personagens de todos os romances.
Um cara que lê não tem pressa, sabe que as pessoas aprendem com os anos, que qualquer um dos grandes tem parágrafos ruins, que o Saramago começou já velho, que o Calvino melhorou a cada romance, que o Borges pode soar sem sentido e que os russos precisam de paciência.
Um namorado que lê gosta de muita coisa, mas, na dúvida, é fácil presenteá-lo: livro no aniversário, livro no Natal, livro na Páscoa. E livro no Dia das Crianças, por que não? Um cara que lê nunca abandonará uma pontinha de vontade de ser Mogli, o menino lobo.
E você também ganhará um ou outro livro de presente. No seu aniversário ou no Dia dos Namorados ou numa terça-feira qualquer. E já fique sabendo que o mais importante não é bem o livro, mas o que ele quis dizer quando escolheu justo esse. Um cara que lê não dá um livro por acaso. E escreve dedicatórias, sempre.
Entenda que ele precisa de um tempo sozinho, mas não é porque quer fugir de você. Invariavelmente, ele vai voltar –com o coração aquecido– para o seu lado.
Demonstre seu amor em palavras, palavras escritas, falas pausadas, discursos inflamados. Ou em silêncios cheios de significados; nem todo silêncio é vazio.
Ele vai se dedicar a transformar sua vida numa história. Deixará post-its com trechos de Tagore no espelho, mandará parágrafos de Saint-Exupéry por SMS. Você poderá, se chegar de mansinho, ouví-lo lendo Neruda baixinho no quarto ao lado. Quem sabe ele recite alguma coisa, meio envergonhado, nos dias especiais. Um cara que lê vai contar aos seus filhos a História Sem Fim e esconder a mão na manga do pijama para imitar o Capitão Gancho.
Namore um cara que lê porque você merece. Merece um cara que coloque na sua vida aquela beleza singela dos grandes poemas. Se quiser uma companhia superficial, uma coisinha só para quebrar o galho por enquanto, então talvez ele não seja o melhor. Mas se quiser aquela parte do "e eles viveram felizes para sempre", namore um cara que lê.
Ou, melhor ainda, namore um cara que escreve.

24 outubro 2011

(Mansfield Park, Jane Austen)

"Life seems but a quick succession of busy nothings."
"Nossa vida não passa de rápida sucessão de urgentes insignificâncias”

~~~~♫♪


"The job of the artist is not to succumb to despair, but to find an antidote for the emptiness of existence."
(O trabalho do artista não é sucumbir ao desespero, mas encontrar um antídoto ao vazio da existência)

de Joan Baez

“I really live in another world. It doesn’t make me unhappy, but it does make me lonely. [...] I am a stranger in my own land, always looking to feel comfortable without selling my soul.” 
“Eu realmente vivo em outro mundo. Isso não me deixa triste, mas sinto-me sozinha. [...] Sou uma estranha em minha própria terra, sempre procurando me sentir bem sem vender a minha alma.”

23 outubro 2011

insônia nossa de cada dia

 
"O sonífero não tem mais efeito imediato, e já sei que o caminho do sono é como um corredor cheio de pensamentos. Ouço ruídos de gente, de vísceras, um sujeito entubado emite sons rascantes, talvez queira me dizer alguma coisa. [...] Sirene na rua, telefone, passos, há sempre uma expectativa que me impede de cair no sono. É a mão que me sustém pelos raros cabelos. Até eu topar na porta de um pensamento oco, que me tragará para as profundezas, onde costumo sonhar em preto-e-branco."
 
(Leite Derramado, Chico Buarque)

03 outubro 2011




Teu sorriso eu vou deixar na estante para eu ter um dia melhor.

Calado todo mundo é muito mais sincero.

"Quando penso em alguém, só penso em você."

 
Demorei muito pra te encontrar... agora quero só você!
Seu jeito todo especial de ser, fico louco com você...
Te abraço e sinto coisas que eu não sei dizer... Só sinto com você!
Meu pensamento voa de encontro ao teu...
Será que é sonho meu?

Eu gosto tanto de você que até prefiro esconder; deixo, assim, ficar subentendido...


"Já conheci muita gente, gostei de alguns garotos...
Mas, depois de você, os outros são os outros... e só!"

E se amanhã não for nada disso, caberá só a mim esquecer... ♫

"Não importa quanto vai durar - é infinito agora."

Viver um dia de cada vez, sentir saudade e não ter medo de chorar. ♪

i miss you

"A distância é como os ventos: apaga as velas e acende as grandes fogueiras."

31 agosto 2011

~♬ mesmo que mude.

Ela vai mudar, vai gostar de coisas que ele nunca imaginou... Vai ficar feliz de ver que ele também mudou. Pelo jeito não descarta uma nova paixão, mas espera que ele ligue a qualquer hora... Só pra conversar, e perguntar se é tarde pra ligar. Dizer que pensou nela... estava com saudade... mesmo sem ter esquecido que: É sempre amor, mesmo que acabe. Com ela aonde quer que esteja...
É sempre amor, mesmo que mude... É sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou!
Ele vai mudar, escolher um jeito novo de dizer "alô". Vai ter medo de que um dia ela vá mudar... Que aprenda a esquecer sua velha paixão. Mas evita ir até o telefone para conversar... Pois é muito tarde pra ligar. Tem pensado nela, estava com saudade... mesmo sem ter esquecido que: É sempre amor, mesmo que acabe. Com ele aonde quer que esteja...
É sempre amor, mesmo que mude... É sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou!
Para conversar, nunca é muito tarde pra ligar! Ele pensa nela... Ela tem saudade... Mesmo sem ter esquecido que: É sempre amor, mesmo que acabe. Com ele aonde quer que esteja...
É sempre amor, mesmo que mude... É sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou!

16 agosto 2011

é a explicação que eu posso dar, e meu pedido de desculpa vai embutido. :)


"Quer saber de uma coisa? Não tenho nada de complicado não, não há nada estranho em mim, a não ser essa porra dessa complicação que eu inventei, porque de outro jeito, eu não saberia me justificar dessa falta de habilidade em administrar a permanência das coisas na minha vida. Como eu iria convencer a mim e aos outros que tudo que me escapa pelos dedos é simplesmente porque permito?

A minha fragilidade desmascarada, meus defeitos banalizados, eu não podia, melhor que me achassem dessas pessoas, cheia de birutices e complexidades tão sacais. Um grande disfarce pro simplérrimo que mora em mim, porque eu sou tão sentimental, eu amo tanto, eu quero tanto, eu choro tanto, eu sofro tanto, sou somente mais uma alma dessas que se fodem todinha.

Essas dificuldades de conservação das coisas têm outras explicações, e pra isso precisei de um pouco dos esclarecimentos extraídos da terapia que eu quase finalizei, porque quase desvendaram que a culpa de tudo estava na minha mãe ou talvez no meu pai, ou naquele amor que tive aos nove anos, não correspondido.

Mas antes de tomar conhecimento profundo de quem eu era, cortei a terapia, me dei alta rapidamente, com medo de me descobrir tão comum. O fato é que não sou esse ser racional, frio e consequente sempre. Não há essa personalidade autosuficiente que eu sempre quero aparentar.

É que eu me desinteresso fácil sabe?  Desapego-me.  Assim, automático. Tão comum aos loucos, tão comum aos descomplicados. Um desinteresse que eu mascarava de coerência. O detalhe é que fui amargando uma realidade até então desconhecida, que acontece toda vez que me deparo com alguém que precisa de mim.

Tenho pânico por pessoas que necessitam dos meus cuidados, das minhas atenções dobradas, das minhas palavras conexas, da minha presença durável, do meu estar perto. Quando isso acontece, eu padeço; assusto-me; como doi sentir-se no comando da felicidade do outro, e não ter talento pra tanto, não há essa força em mim, eu não quero ter essa força.

E como é foda depois, quando eu me sinto que nem um cachorrinho que cai da mudança, no momento que aquele alguém que precisava de mim pra respirar, anuncia que não precisa mais, porque é justamente aí que preciso desesperadamente dele. Talvez eu devesse apelar aos que chegam perto, antes do inevitável acontecer:  Por favor, não precise de mim!

Não precise nunca de mim, nunca, não me deixe supor que a sua existência estar amarrada a mim, que você não será feliz caso eu não corresponda suas expectativas. Por favor, me deixe apenas acreditar que sua vida só ficou um pouco melhor do meu lado, não me dê amor desmedido, não me dê sua vida em minhas mãos.

Entenda, não é por mal, não sou má pessoa, eu só não sei como usar isso, não sei governar, não sei o que fazer com tanto poder. Eu quero sim cuidar de você e te dar um amor inteiro, mas não me faça achar que você precisa disso pra continuar.

E eu te prometo tentar não ruir, prometo tentar não perecer, prometo sim ser o que você precisa, sem que você realmente precise. A minha incapacidade pode até ser mesmo filha da puta, mas por trás dela tem apenas alguém que precisa mais do que tem pra dar.

Quando você sair da minha vida, porque cansou de me dá o que não sei retribuir, vou amaldiçoar estar no mundo sem você, mas vou amaldiçoar muito mais ainda, ter que retornar a terapia pra continuar buscando quem eu já conheço."

Desconheço o autor, mas o texto foi indicação da minha amiga Samya Camargo. Lembrou de mim não foi à toa, né, amiga? Achou um resumo da minha personalidade suuuuuuuuper "complicada". Te amo! Saudade.

06 agosto 2011

-

Talvez um dia você perceba que eu faço falta na sua vida, e essa falta é um espaço a ser preenchido. Talvez um dia, no meio de tantas... posso até não ser aquela que você sonha, mas sou a pessoa que mais te completa e talvez no exato momento que você perceber tudo isso, eu descubra que estar com você não vale mais a pena.

05 agosto 2011

roda moinho, roda gigante... ♬


Pois que o amor e a afeição com facilidade cegam os olhos do entendimento.

Sonhar o sonho impossível,
Sofrer a angústia implacável,
Pisar onde os bravos não ousam,
Reparar o mal irreparável,
Amar um amor casto à distância,
Enfrentar o inimigo invencível,
Tentar quando as forças se esvaem,
Alcançar a estrela inatingível:
Essa é a minha busca.

O meu repouso é a batalha.

O medo é que faz que não vejas, nem ouças.
Porque um dos efeitos do medo é turvar os sentidos,
e fazer que pareçam as coisas outras do que são!

Quando você realmente amar alguém e for recíproco, você vai ver como é bom amar. Pra amar não precisa namorar, e bla bla bla, mais o namoro é a melhor forma de expressar o sentimeto, quando você sentir suas pernas tremerem, sua barriga gelar, teu corpo ficar mole, aí sim você vai enteder a magia de amar.

(Dom Quixote)
___________________________

Sempre fui meio Dom Quixote.
Não que fosse cega para a verdade,
mas por insistir em ver bondade,
onde os outros se recusavam a enxergar.
Eu aprendi...
...que ter uma criança adormecida nos braços é um dos momentos mais pacíficos do mundo;
Eu aprendi...
...que ser gentil é mais importante do que estar certo;
Eu aprendi...
...que nunca se deve negar um presente a uma criança;
Eu aprendi...
...que eu sempre posso fazer uma prece por alguém quando não tenho a força para ajudá-lo de alguma outra forma;
Eu aprendi...
...que não importa quanta seriedade a vida exija de você, cada um de nós precisa de um amigo brincalhão para se divertir junto;
Eu aprendi...
...que algumas vezes tudo o que precisamos é de uma mão para segurar e um coração para nos entender;
Eu aprendi...
...que os passeios simples com meu pai em volta do quarteirão nas noites de verão quando eu era criança fizeram maravilhas para mim quando me tornei adulto;
Eu aprendi...
...que deveríamos ser gratos a Deus por não nos dar tudo que lhe pedimos;
Eu aprendi...
...que dinheiro não compra "classe";
Eu aprendi...
...que são os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espetacular;
Eu aprendi...
...que debaixo da "casca grossa" existe uma pessoa que deseja ser apreciada, compreendida e amada;
Eu aprendi...
...que Deus não fez tudo num só dia; o que me faz pensar que eu possa?
Eu aprendi...
...que ignorar os fatos não os altera;
Eu aprendi...
...que quando você planeja se nivelar com alguém, apenas esta permitindo que essa pessoa continue a magoar você;
Eu aprendi...
...que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;
Eu aprendi...
...que a maneira mais fácil para eu crescer como pessoa é me cercar de gente mais inteligente do que eu;
Eu aprendi...
...que cada pessoa que a gente conhece deve ser saudada com um sorriso;
Eu aprendi...
...que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;
Eu aprendi...
...que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;
Eu aprendi...
...que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.
Eu aprendi...
...que quando o ancoradouro se torna amargo a felicidade vai aportar em outro lugar;
Eu aprendi...
...que devemos sempre ter palavras doces e gentis pois amanhã talvez tenhamos que engoli-las;
Eu aprendi...
...que um sorriso é a maneira mais barata de melhorar sua aparência;
Eu aprendi...
...que não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito;
Eu aprendi...
...que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você esta escalando-a;
Eu aprendi...
...que só se deve dar conselho em duas ocasiões: quando é pedido ou quando é caso de vida ou morte;
Eu aprendi...
...que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer.

(bob marley)

"Os ventos que as vezes tiram algo que amamos, são os mesmos que trazem algo que aprendemos a amar. Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado e sim, aprender a amar o que nos foi dado. Pois tudo aquilo que é realmente nosso, nunca se vai para sempre."

COMPAIXÃO É FORTALEZA... Ter bondade é ter coragem! ♬

Caridade ensinada melhora os ouvidos. 
Caridade praticada aprimora os corações. 
(EMMANUEL)

o teatro mágico. :o)

Deixa eu me livrar das minhas marcas...
Deixa eu me lembrar de criar asas...
[...]
Deixa que nesse verão eu faço sol.

~♬

Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade,
Tudo está perdido mas existem possibilidades.
Tínhamos a ideia, mas você mudou os planos...
Tínhamos um plano, você mudou de ideia!
Já passou, já passou - quem sabe outro dia...

Se pudéssemos voltar atrás, jamais seguiríamos em frente.

"Experiência é o nome que damos aos nossos erros."

(augusto branco)

Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis. Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com pessoas que eu nunca pensei que iriam me decepcionar, mas também já decepcionei alguém.
Já abracei pra proteger, já dei risada quando não podia, fiz amigos eternos e amigos que eu nunca mais vi. Amei e fui amado, mas também já fui rejeitado, fui amado e não amei.
Já gritei e pulei de tanta felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas, e quebrei a cara muitas vezes! Já chorei ouvindo música e vendo fotos, já liguei só para escutar uma voz, me apaixonei por um sorriso, já pensei que fosse morrer de tanta saudade e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).
Mas vivi! E ainda vivo. Não apenas passo pela vida. E você também não deveria passar! Viva!
Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é "muito" para ser insignificante.

Clique na imagem para ampliá-la. :o)

03 agosto 2011

genial.

O humorista Danilo Gentili postou a seguinte piada no seu twitter:
"King Kong, um macaco que, depois que vai para a cidade e fica famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?"
A ONG Afrobras se posicionou contra: 
"Nos próximos dias devemos fazer uma carta de repúdio. Estamos avaliando ainda uma representação criminal", diz José Vicente, presidente da ONG. "Isso foi indevido, inoportuno, de mau gosto e desrespeitoso. Desrespeitou todos os negros brasileiros e também a democracia. Democracia é você agir com responsabilidade", avalia Vicente.
Alguns minutos após escrever seu primeiro "twitter" sobre King Kong, Gentili tentou se justificar no microblog:
"Alguém pode me dar uma explicação razoável por que posso chamar gay de veado, gordo de baleia, branco de lagartixa, mas nunca um negro de macaco?" (GENIAL) "Na piada do King Kong, não disse a cor do jogador. Disse que a loira saiu com o cara porque é famoso. A cabeça de vocês é que têm preconceito."
Mas, calma! Essa não foi a tal resposta genial que está no título, e sim ESTA:
"Se você me disser que é da raça negra, preciso dizer que você também é racista, pois, assim como os criadores de cachorros, acredita que somos separados por raças. E se acredita nisso vai ter que confessar que uma raça é melhor ou pior que a outra, pois, se todas as raças são iguais, então a divisão por raça é estúpida e desnecessária. Pra que perder tempo separando algo se no fundo dá tudo no mesmo?
Quem propagou a ideia que "negro" é uma raça foram os escravagistas. Eles usaram isso como desculpa para vender os pretos como escravos: "Podemos tratá-los como animais, afinal eles são de uma outra raça que não é a nossa. Eles são da raça negra".
Então quando vejo um cara dizendo que tem orgulho de ser da raça negra, eu juro que nem me passa pela cabeça chamá-lo de macaco, MAS SIM DE BURRO.
Falando em burro, cresci ouvindo que eu sou uma girafa. E também cresci chamando um dos meus melhores amigos de elefante. Já ouvi muita gente chamar loira caucasiana de burra, gay de v***** e ruivo de salsicha, que nada mais é do que ser chamado de restos de porco e boi misturados.
Mas se alguém chama um preto de macaco é crucificado. E isso pra mim não faz sentido. Qual o preconceito com o macaco? Imagina no zoológico como o macaco não deve se sentir triste quando ouve os outros animais comentando:
- O macaco é o pior de todos. Quando um humano se xinga de burro ou elefante dão risada. Mas quando xingam de macaco vão presos. Ser macaco é uma coisa terrível. Graças a Deus não somos macacos.
Prefiro ser chamado de macaco a ser chamado de girafa. Peça a um cientista que faça um teste de Q.I. com uma girafa e com um macaco. Veja quem tira a maior nota.
Quando queremos muito ofender e atacar alguém, por motivos desconhecidos, não xingamos diretamente a pessoa, e sim a mãe dela. Posso afirmar aqui então que Darwin foi o maior racista da história por dizer que eu vim do macaco?
Mas o que quero dizer é que na verdade não sei qual o problema em chamar um preto de preto. Esse é o nome da cor não é? Eu sou um ser humano da cor branca. O japonês da cor amarela. O índio da cor vermelha. O africano da cor preta. Se querem igualdade deveriam assumir o termo "preto" pois esse é o nome da cor. Não fica destoante isso: "Branco, Amarelo, Vermelho, Negro"?. O Darth Vader pra mim é negro. Mas o Bill Cosby, Richard Pryor e Eddie Murphy que inspiram meu trabalho, não. Mas se gostam tanto assim do termo negro, ok, eu uso, não vejo problemas. No fim das contas, é só uma palavra. E embora o dicionário seja um dos livros mais vendidos do mundo, penso que palavras não definem muitas coisas e sim atitudes.
Digo isso porque a patrulha do politicamente correto é tão imbecil e superficial que tenho absoluta certeza que serei censurado se um dia escutarem eu dizer: "E aí seu PRETO, senta aqui e toma uma comigo!". Porém, se eu usar o tom correto e a postura certa ao dizer "Desculpe meu querido, mas já que é um afrodescendente, é melhor evitar sentar aqui. Mas eu arrumo uma outra mesa muito mais bonita pra você!" Sei que receberei elogios dessas mesmas pessoas; afinal eu usei os termos politicamente corretos e não a palavra "preto" ou "macaco", que são palavras tão horríveis.
Os politicamente corretos acham que são como o Superman, o cara dotado de dons superiores, que vai defender os fracos, oprimidos e impotentes. E acredite: isso é racismo, pois transmite a ideia de superioridade que essas pessoas sentem de si em relação aos seus "defendidos"
Agora peço que não sejam racistas comigo, por favor. Não é só porque eu sou branco que eu escravizei um preto. Eu juro que nunca fiz nada parecido com isso, nem mesmo em pensamento. Não tenham esse preconceito comigo. Na verdade, SOU ÍTALO-DESCENDENTE. ITALIANOS NÃO ESCRAVIZARAM AFRICANOS NO BRASIL. VIERAM PRA CÁ E, ASSIM COMO OS PRETOS, TRABALHARAM NA LAVOURA. A DIFERENÇA É QUE ESCRAVA ISAURA FEZ MAIS SUCESSO QUE TERRA NOSTRA.
Ok. O que acabei de dizer foi uma piada de mau gosto porque eu não disse nela como os pretos sofreram mais que os italianos. Ok. Eu sei que os negros sofreram mais que qualquer raça no Brasil. Foram chicoteados. Torturados. Foi algo tão desumano que só um ser humano seria capaz de fazer igual. Brancos caçaram negros como animais. Mas também os compraram de outros negros. Sim. Ser dono de escravo nunca foi privilégio caucasiano, e sim da sociedade dominante. Na África, uma tribo vencedora escravizava a outra e as vendia para os brancos sujos.
Lembra que eu disse que era ítalo-descendente? Então. Os italianos podem nunca ter escravizados os pretos, mas os romanos escravizaram os judeus. E eles já se vingaram de mim com juros e correção monetária, pois já fui escravo durante anos de um carnê das Casas Bahia.
Se é engraçado piada de gay e gordo, por que não é a de preto? Porque foram escravos no passado hoje são café com leite no mundo do humor? É isso? Eu posso fazer a piada com gay só porque seus ancestrais nunca foram escravos? Pense bem, talvez o gay na infância também tenha sofrido abusos de alguém mais velho com o chicote.
Se você acha que vai impor respeito me obrigando a usar o termo "negro" ou "afrodescendente" , tudo bem, eu posso fazer isso só pra agradar. Na minha cabeça, você será apenas preto e eu, branco, da mesma raça - a raça humana. E você nunca me verá por aí com uma camiseta escrita "100% humano", pois não tenho orgulho nenhum de ser dessa raça que discute coisas idiotas de uma forma superficial e discrimina o próprio irmão."

01 agosto 2011


"Tenho consciência de ser autêntica e procuro superar todos os dias minha própria personalidade, despedaçando dentro de mim tudo que é velho e morto, pois lutar é a palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes.

O importante é semear, produzir milhões de sorrisos de solidariedade e amizade. Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. Digo o que penso, com esperança. Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor. Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende!"

05 julho 2011

tá escrito.


Quem cultiva a semente do amor
Segue em frente não se apavora
Se na vida encontrar dissabor
Vai saber esperar sua hora
As vezes a felicidade demora a chegar
Aí é que a gente não pode deixar de sonhar
Guerreiro não foge da luta, não pode correr
Ninguém vai poder atrasar quem nasceu pra vencer
É dia de sol mas o tempo pode fechar
A chuva só vem quando tem que molhar
Na vida é preciso aprender, se colhe tem que plantar
É Deus quem aponta a estrela que tem que brilhar
Erga essa cabeça, mete o pé e vai na fé
Manda essa tristeza embora
Basta acreditar que um novo dia vai raiar
Sua hora vai chegar

~♬

23 maio 2011

O Pequeno Príncipe.

"Os homens? Eu creio que existam seis ou sete.
Eu os vi há muitos anos.
Mas não se pode nunca saber onde se encontram...
O vento os leva.
Eles não tem raízes. Eles não gostam das raízes."

22 maio 2011

Ame as pessoas, não as coisas. Use as coisas, não as pessoas.

Passamos metade da vida à espera daqueles que amamos e a outra metade a deixar os que amamos.


Victor Hugo

O Pequeno Príncipe.


CAPÍTULO XXI (meu preferido)

E foi então que apareceu a raposa:
- Bom dia, disse a raposa.
- Bom dia, respondeu polidamente o principezinho, que se voltou, mas não viu nada.
Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira...
- Quem és tu? perguntou o principezinho. Tu és bem bonita...
- Sou uma raposa, disse a raposa.
- Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste!
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.
- Ah! desculpa, disse o principezinho.
Após uma reflexão, acrescentou:
- Que quer dizer "cativar"?
- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
- Procuro os homens, disse o principezinho - Que quer dizer "cativar"?
- Os homens, disse a raposa, têm fuzis e caçam. É bem incômodo! Criam galinhas também. É a única coisa interessante que eles fazem - Tu procuras galinhas?
- Não, disse o principezinho. Eu procuro amigos. Que quer dizer "cativar"?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços".
- Criar laços?
- Exatamente, disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim o único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...
- Começo a compreender, disse o principezinho. Existe uma flor... eu creio que ela me cativou.
- É possível, disse a raposa. Vê-se tanta coisa na Terra...
- Oh! Não foi na Terra, disse o principezinho.
A raposa pareceu intrigada:
- Num outro planeta?
- Sim.
- Há caçadores nesse planeta?
- Não.
- Que bom! E galinhas?
- Também não.
- Nada é perfeito, suspirou a raposa.
Mas a raposa voltou à sua ideia.
- Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste... Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...
A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:
- Por favor... cativa-me, disse ela.
- Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
- Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.
- É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás mais perto...
No dia seguinte o principezinho voltou.
- Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração... É preciso ritos.
- Que é um rito? perguntou o principezinho.
- É uma coisa muito esquecida também, disse a raposa. É o que faz com que um dia seja diferente dos outros dias; uma hora, das outras horas. Os meus caçadores, por exemplo, possuem um rito. Dançam na quinta-feira com as moças da aldeia. A quinta-feira então é o dia maravilhoso!
Vou passear até a vinha. Se os caçadores dançassem qualquer dia, os dias seriam todos iguais, e eu não teria férias!
Assim o principezinho cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:
- Ah! Eu vou chorar.
- A culpa é tua, disse o principezinho, eu não te queria fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse ...
- Quis, disse a raposa.
- Mas tu vais chorar! disse o principezinho.
- Vou, disse a raposa.
- Então, não sais lucrando nada!
- Eu lucro, disse a raposa, por causa da cor do trigo.
Depois ela acrescentou:
- Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua é a única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te farei presente de um segredo.
Foi o principezinho rever as rosas:
- Vós não sois absolutamente iguais à minha rosa, vós não sois nada ainda. Ninguém ainda vos cativou, nem cativastes a ninguém. Sois como era a minha raposa. Era uma raposa igual a cem mil outras. Mas eu fiz dela um amigo. Ela é agora única no mundo.
E as rosas estavam desapontadas.
- Sois belas, mas vazias, disse ele ainda. Não se pode morrer por vós. Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é, porém, mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus sob a redoma. Foi a ela que abriguei com o pára-vento. Foi dela que eu matei as larvas (exceto duas ou três por causa das borboletas - É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas. Dizem que são tão belas!). Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa.
E voltou, então, à raposa:
- Adeus, disse ele...
- Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
- O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...
- Eu sou responsável pela minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.

21 maio 2011

Quando nada te faria tirar o pijama... não fosse o vento que vai lá fora, é a voz do teu amor que chama agora! ♫

Nunca se esconda assim. Eu não vou saber te falar, te explicar que eu também me assusto muito... ♫

a banda mais bonita - canção pra não voltar. ♫

Não volte pra casa, meu amor, que aqui é triste. Não volte pro mundo onde você não existe! Não volte mais... Não olhe pra trás... Mas não se esqueça de mim, não!
Não me lembre que o sol nasce no leste e no oeste morre depois. O que acontece é triste demais... Pra quem não sabe viver, pra quem não sabe amar...
Não volte pra casa meu amor, que a casa é triste! Desde que você partiu, aqui nada existe. Então não adianta voltar... Acabou o seu tempo, acabou o seu mar, acabou seu dia! Acabou, acabou!
Não volte pra casa, meu amor que aqui é triste! Vá voar com o vento, que só lá você existe. Não esqueça que não sei mais nada... Nada de você. Não me espere, porque eu não volto logo! Não nade, porque eu me afogo. Não voe, porque eu caio do ar! Não sei flutuar nas nuvens como você...
Você não vai entender... que eu não sei voar! Eu não sei mais nada...

querido diário - 21/05/2011


Bom, eu to aqui pra relatar na verdade o dia de ontem. Sexta-feira boa, começou com a melhor notícia de todas: a da minha cirurgia. Até aí beleza... A minha amiga Rose também tava super feliz, já que ela ganhou o ingresso pra ir no show do Jack Johnson em BH dia 24 e nós resolvemos sair pra comemorar. Fomos pro shopping (depois da academia), bebemorar com os amigos Ebinho, Marcelo, Deiviton e um outro camarada que eu não lembro o nome (Flamenguista, muito gente boa). Saimos de lá e fomos ao Kid Batata, no Coqueiro, já morrendo de fome e já num nível de insanidade avançado. Eu não gosto do Coqueiro por muitos motivos, aquilo só me dá azar, mas não vem ao caso entrar em detalhes agora. Mortas de fome, fomos logo pedindo uma mega batata, que domorou apenas umas 1345223626 horas pra ficar pronta... e enquanto isso a gnt brincava no celular de publicar coisas idiotas no Facebook. Na hora de pagar a conta notei que a carteira havia ficado no carro. Fomos lá (e o celular ficou em cima da mesa... ESPERTONA)! Foi coisa de 5 minutos, quando cheguei o garçom ainda estava limpando a mesa... perguntei sobre o celular, mas ele disse que não viu nada. Celular ninja, escapou da mamãe com 5 minutos! Paguei a conta e o garçom gente boa me voltou o troco errado, com 10 reais a mais. Ainda pensei: "Poxa, eu devo ter colocado o celular a venda por $10 e não me lembro! ^^"
Mas hoje, lendo a notícia que o fim do mundo está marcado pra hoje, eu entendo que os 10 reais eram apenas os 10% do dízimo! É claro!!! No dia do julgamento final é claro que a gente não poderia esquecer da salvação, que é o dízimo!
Bom, como o mundo vai acabar hoje, eu gostaria de me despedir de vocês (e tô até mais calma, já que amanhã não vou precisar mais de um celular, já que o mundo acaba hoje). Se o sistema do Blogger for recuperado por marcianos ou futuras gerações, fica o meu abraço. :) Sacanagem, vou morrer antes das minhas plásticas, mas não tem problema não... o Flamengo joga hoje, vai ganhar, e estarei feliz, enchendo a cara com meus amigos, provavelmente no The Wall e nem vou ter que terminar a minha monografia chata de Responsabilidade Civil decorrente de Erro Médico.
Aproveitem bem, aparentemente o mundo vai acabar em gelo (o frio tá no domínio). Eu não vou no show do Jack Johnson, já perdi o show do Bon Jovi e do U2, não fui no show do Los Hermanos, Chico Buarque e nem do Teatro Mágico, não vou no Rock in Rio ver Coldplay e Red Hot, não conheci a maioria dos meus ídolos, mas tô super feliz por ter aproveitado taaaaaanto com meus amigos anormais e minha família mais linda do mundo. Ainda tive tempo de criar um blog pra escrever um monte de merda e tenho certeza que alguém vai ler! :D Espero encontrar o Senna lá no paraíso pra ele me contar sobre sua super história, rever Mamonas Assassinas que marcaram minha infância, conhecer o grande Bob Marley, talvez Lennon. E por mais que vocês não concordem, eu boto fé de que todos eles estão no paraíso! E pra terminar, um super churrasco com a galera, ao som de Bezerra da Silva cantando AO "VIVO" pra gente. E caso eu conheça o Hitler, quero saber como ele conseguir reerguer a Alemanha, e ouvir todo o posicionamento dele... deve ser interessante (não me atrevo a discutir, claro), mas ouvir sobre a 2a Guerra é sempre fascinante. E se eu conhecer o Laden, vou contar pra ele como eu consegui transformar o terrorismo dele numa cantadinha de pedreiro. Sou muito gênio! Enfim, que venha o fim do mundo (depois do jogo do Flamengo). Amém.


Se o seu deputado pode te roubar, por que seu garçom não poderia? Isso é bullying. Direitos iguais! (Y)