23 maio 2011

O Pequeno Príncipe.

"Os homens? Eu creio que existam seis ou sete.
Eu os vi há muitos anos.
Mas não se pode nunca saber onde se encontram...
O vento os leva.
Eles não tem raízes. Eles não gostam das raízes."

22 maio 2011

Ame as pessoas, não as coisas. Use as coisas, não as pessoas.

Passamos metade da vida à espera daqueles que amamos e a outra metade a deixar os que amamos.


Victor Hugo

O Pequeno Príncipe.


CAPÍTULO XXI (meu preferido)

E foi então que apareceu a raposa:
- Bom dia, disse a raposa.
- Bom dia, respondeu polidamente o principezinho, que se voltou, mas não viu nada.
Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira...
- Quem és tu? perguntou o principezinho. Tu és bem bonita...
- Sou uma raposa, disse a raposa.
- Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste!
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.
- Ah! desculpa, disse o principezinho.
Após uma reflexão, acrescentou:
- Que quer dizer "cativar"?
- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
- Procuro os homens, disse o principezinho - Que quer dizer "cativar"?
- Os homens, disse a raposa, têm fuzis e caçam. É bem incômodo! Criam galinhas também. É a única coisa interessante que eles fazem - Tu procuras galinhas?
- Não, disse o principezinho. Eu procuro amigos. Que quer dizer "cativar"?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços".
- Criar laços?
- Exatamente, disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim o único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...
- Começo a compreender, disse o principezinho. Existe uma flor... eu creio que ela me cativou.
- É possível, disse a raposa. Vê-se tanta coisa na Terra...
- Oh! Não foi na Terra, disse o principezinho.
A raposa pareceu intrigada:
- Num outro planeta?
- Sim.
- Há caçadores nesse planeta?
- Não.
- Que bom! E galinhas?
- Também não.
- Nada é perfeito, suspirou a raposa.
Mas a raposa voltou à sua ideia.
- Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste... Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...
A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:
- Por favor... cativa-me, disse ela.
- Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
- Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.
- É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás mais perto...
No dia seguinte o principezinho voltou.
- Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração... É preciso ritos.
- Que é um rito? perguntou o principezinho.
- É uma coisa muito esquecida também, disse a raposa. É o que faz com que um dia seja diferente dos outros dias; uma hora, das outras horas. Os meus caçadores, por exemplo, possuem um rito. Dançam na quinta-feira com as moças da aldeia. A quinta-feira então é o dia maravilhoso!
Vou passear até a vinha. Se os caçadores dançassem qualquer dia, os dias seriam todos iguais, e eu não teria férias!
Assim o principezinho cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:
- Ah! Eu vou chorar.
- A culpa é tua, disse o principezinho, eu não te queria fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse ...
- Quis, disse a raposa.
- Mas tu vais chorar! disse o principezinho.
- Vou, disse a raposa.
- Então, não sais lucrando nada!
- Eu lucro, disse a raposa, por causa da cor do trigo.
Depois ela acrescentou:
- Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua é a única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te farei presente de um segredo.
Foi o principezinho rever as rosas:
- Vós não sois absolutamente iguais à minha rosa, vós não sois nada ainda. Ninguém ainda vos cativou, nem cativastes a ninguém. Sois como era a minha raposa. Era uma raposa igual a cem mil outras. Mas eu fiz dela um amigo. Ela é agora única no mundo.
E as rosas estavam desapontadas.
- Sois belas, mas vazias, disse ele ainda. Não se pode morrer por vós. Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é, porém, mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus sob a redoma. Foi a ela que abriguei com o pára-vento. Foi dela que eu matei as larvas (exceto duas ou três por causa das borboletas - É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas. Dizem que são tão belas!). Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa.
E voltou, então, à raposa:
- Adeus, disse ele...
- Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
- O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...
- Eu sou responsável pela minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.

21 maio 2011

Quando nada te faria tirar o pijama... não fosse o vento que vai lá fora, é a voz do teu amor que chama agora! ♫

Nunca se esconda assim. Eu não vou saber te falar, te explicar que eu também me assusto muito... ♫

a banda mais bonita - canção pra não voltar. ♫

Não volte pra casa, meu amor, que aqui é triste. Não volte pro mundo onde você não existe! Não volte mais... Não olhe pra trás... Mas não se esqueça de mim, não!
Não me lembre que o sol nasce no leste e no oeste morre depois. O que acontece é triste demais... Pra quem não sabe viver, pra quem não sabe amar...
Não volte pra casa meu amor, que a casa é triste! Desde que você partiu, aqui nada existe. Então não adianta voltar... Acabou o seu tempo, acabou o seu mar, acabou seu dia! Acabou, acabou!
Não volte pra casa, meu amor que aqui é triste! Vá voar com o vento, que só lá você existe. Não esqueça que não sei mais nada... Nada de você. Não me espere, porque eu não volto logo! Não nade, porque eu me afogo. Não voe, porque eu caio do ar! Não sei flutuar nas nuvens como você...
Você não vai entender... que eu não sei voar! Eu não sei mais nada...

querido diário - 21/05/2011


Bom, eu to aqui pra relatar na verdade o dia de ontem. Sexta-feira boa, começou com a melhor notícia de todas: a da minha cirurgia. Até aí beleza... A minha amiga Rose também tava super feliz, já que ela ganhou o ingresso pra ir no show do Jack Johnson em BH dia 24 e nós resolvemos sair pra comemorar. Fomos pro shopping (depois da academia), bebemorar com os amigos Ebinho, Marcelo, Deiviton e um outro camarada que eu não lembro o nome (Flamenguista, muito gente boa). Saimos de lá e fomos ao Kid Batata, no Coqueiro, já morrendo de fome e já num nível de insanidade avançado. Eu não gosto do Coqueiro por muitos motivos, aquilo só me dá azar, mas não vem ao caso entrar em detalhes agora. Mortas de fome, fomos logo pedindo uma mega batata, que domorou apenas umas 1345223626 horas pra ficar pronta... e enquanto isso a gnt brincava no celular de publicar coisas idiotas no Facebook. Na hora de pagar a conta notei que a carteira havia ficado no carro. Fomos lá (e o celular ficou em cima da mesa... ESPERTONA)! Foi coisa de 5 minutos, quando cheguei o garçom ainda estava limpando a mesa... perguntei sobre o celular, mas ele disse que não viu nada. Celular ninja, escapou da mamãe com 5 minutos! Paguei a conta e o garçom gente boa me voltou o troco errado, com 10 reais a mais. Ainda pensei: "Poxa, eu devo ter colocado o celular a venda por $10 e não me lembro! ^^"
Mas hoje, lendo a notícia que o fim do mundo está marcado pra hoje, eu entendo que os 10 reais eram apenas os 10% do dízimo! É claro!!! No dia do julgamento final é claro que a gente não poderia esquecer da salvação, que é o dízimo!
Bom, como o mundo vai acabar hoje, eu gostaria de me despedir de vocês (e tô até mais calma, já que amanhã não vou precisar mais de um celular, já que o mundo acaba hoje). Se o sistema do Blogger for recuperado por marcianos ou futuras gerações, fica o meu abraço. :) Sacanagem, vou morrer antes das minhas plásticas, mas não tem problema não... o Flamengo joga hoje, vai ganhar, e estarei feliz, enchendo a cara com meus amigos, provavelmente no The Wall e nem vou ter que terminar a minha monografia chata de Responsabilidade Civil decorrente de Erro Médico.
Aproveitem bem, aparentemente o mundo vai acabar em gelo (o frio tá no domínio). Eu não vou no show do Jack Johnson, já perdi o show do Bon Jovi e do U2, não fui no show do Los Hermanos, Chico Buarque e nem do Teatro Mágico, não vou no Rock in Rio ver Coldplay e Red Hot, não conheci a maioria dos meus ídolos, mas tô super feliz por ter aproveitado taaaaaanto com meus amigos anormais e minha família mais linda do mundo. Ainda tive tempo de criar um blog pra escrever um monte de merda e tenho certeza que alguém vai ler! :D Espero encontrar o Senna lá no paraíso pra ele me contar sobre sua super história, rever Mamonas Assassinas que marcaram minha infância, conhecer o grande Bob Marley, talvez Lennon. E por mais que vocês não concordem, eu boto fé de que todos eles estão no paraíso! E pra terminar, um super churrasco com a galera, ao som de Bezerra da Silva cantando AO "VIVO" pra gente. E caso eu conheça o Hitler, quero saber como ele conseguir reerguer a Alemanha, e ouvir todo o posicionamento dele... deve ser interessante (não me atrevo a discutir, claro), mas ouvir sobre a 2a Guerra é sempre fascinante. E se eu conhecer o Laden, vou contar pra ele como eu consegui transformar o terrorismo dele numa cantadinha de pedreiro. Sou muito gênio! Enfim, que venha o fim do mundo (depois do jogo do Flamengo). Amém.


Se o seu deputado pode te roubar, por que seu garçom não poderia? Isso é bullying. Direitos iguais! (Y)

musiquinha mais lindinha que eu ouvi nos últimos tempos. delícia! *-*


Meu amor, essa é a última oração, pra salvar seu coração... Coração não é tão simples quanto pensa! Nele cabe o que não cabe na despensa. Cabe o meu amor! Cabem três vidas inteiras... Cabe uma penteadeira. Cabe nós dois. Cabe até o meu amor! Essa é a última oração, pra salvar seu coração. Coração não é tão simples quanto pensa, nele cabe o que não cabe na despensa! Cabe o meu amor! Cabem três vidas inteiras... Cabe uma penteadeira. Cabe essa oração!

18 maio 2011

Charles Chaplin.

A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso.
Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.
Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?

E quantas verdades eu já disse brincando e você não percebeu...

07 maio 2011

Não me julgue. Você sabe o meu nome, não minha história.

tati bernardi.

Só sei que estou preparada para quebrar a minha cara, porque eu posso ser louca, boba e infantil, mas eu não sou medíocre.

Quando penso em alguém, só penso em você.

-

Dê valor as pessoas enquanto elas estão por perto,
saudade não será motivo suficiente para que elas voltem.

-

Ver o que queremos enxergar é fácil.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achamos ter visto.

Só por hoje eu queria ter alguém que tivesse medo de me perder...

:o)

A distância é como os ventos:
apaga as velas e acende as grandes fogueiras.

A sorte não é pra todas...

...talvez seja só pra mim!

"(...) e eu finalmente deixei de ter pena de mim por estar sem você, e passei a ter pena de você por estar sem mim."

A vida fica muito mais fácil se a gente sabe onde estão os beijos de que precisamos.